Prefeito da região poderá ser cassado por compra de voto
03 março 2021 - 21h56
Visualizações: 1841

O Ministério Público recebeu inúmeras denúncias de irregularidades nas eleições municipais, realizadas em 2020. Após investigações preliminares, ajuizou duas ações cassatórias, uma delas buscando a cassação do mandato de um prefeito eleito, e outra a inegibilidade de um candidato a prefeito não eleito, ambos de municípios da região pertencente a 100ª Zona Eleitoral. Fazem parte desta Comarca os municípios de Tapejara, Água Santa, Charrua, Santa Cecília do Sul e Vila Langaro. “Nestes casos temos provas de que houve a compra de votos. A juíza recebeu as ações e já expediu as notificações”, disse o promotor Marcio Schenato. Ele não divulgou os nomes dos denunciados porque os mesmos ainda não receberam a visita do oficial de justiça, com a intimação. “Eu procuro sempre a consistência nas provas, antes de ajuizar alguma ação de cassação, pois quando as provas são falhas prefiro não expor uma pessoa injustamente. Exemplo disso são as ações de cassações de vereadores de Tapejara (eleições 2016) que foram ajuizadas e deferidas como procedentes. Um deles recorreu ao TSE, onde o relator Ministro Barroso, manteve a cassação porque as provas eram fortes”, explica.

As outras denúncias que chegaram ao MP não contam com provas suficientes para ajuizar ações, dessa forma foram encaminhadas para a Polícia Federal, que deverá instaurar inquéritos para investigar os crimes denunciados.
Fonte: Jornal Novo Tempo - Tapejara

veja também
Ibiaçá realiza primeira fase da vacinação contra a Gripe
Colisão envolvendo carro e caminhão deixa um óbito em Passo Fundo
publicidade